Revista Raízes - Sempre perto de si.|Terça-feira, Setembro 19, 2017
Você está aqui: Início » Desporto » Barrosã brilha no Kickboxing
  • Procure um artigo

Barrosã brilha no Kickboxing 

Imagem do Município de Monategre

Catarina Dias, natural de Gralhós, concelho de Montalegre, alcançou um honroso segundo lugar no Campeonato do Mundo de Kickboxing. O combate final realizou-se no passado dia 2 de Setembro, em Dublin, na Irlanda do Norte.

Com apenas 17 anos, Catarina Dias, natural do concelho de Montalegre representou Portugal no Campeonato do Mundo de Kickboxing, categoria júnior (Full-Contact), em Dublin, Irlanda do Norte e alcançou um honroso segundo lugar.

Uma barrosã com garra que agredece ao seu mestre José Pina, treinador da atleta a força que ganhou para alcançar este sonho. “O Kicboxing é o meu Mundo! É onde se aprende a ter garra, dedicação, sacrifício no fundo o que precisamos ao longo da nossa vida. Escuto muito disto do Mestre José Pina e é verdade. Graças a estes ensinamentos consegui”, refere a jovem.

A contrastar com o entusiasmo desta jovem , está o facto desta modalidade ter escassos apoios. Foi a família de Catarina Dias que assumiu as despesas desta viagem a Dublin, o preço do sonho desta menina. “Se fizer as contas, devo ter gasto perto de 2.000 euros. Viagem, alimentação e o resto. Já para não falar do equipamento que também é muito caro”. Mas nada que desanime esta barrosã que foi à luta e trouxe o honroso segundo lugar.

Percurso

O percurso de Catarina teve início em 2014, na cidade de Chaves, no “Ginásio 100%”. Cedo deu nas vistas a ponto de ser transferida para o Ginásio Clube Mirandelense onde encontrou o rosto maior da modalidade: José Pina. “Sempre participei no desporto escolar. Um amigo disse-me se queria experimentar artes marciais. Experimentei. No final da primeira aula, apercebi-me que era isto que queria para a minha vida”, refere a atleta. Desde aí o apoio tem sido constante. “ Toda a gente me dá força. Sentem-se orgulhosos por mim, por ser a única, do nosso concelho, a representar Portugal num outro país. Dão-me forças para continuar com o meu sonho”, conclui Catarina.

Adicionar comentário