Carla Dinis

“E se soubesse que tinha apenas uma semana de vida, o que gostaria de partilhar com um dos grandes amores da minha vida, sobre…O AMOR?”

Filha,

Hoje acordei a pensar no seguinte…E se, por algum motivo, amanhã eu não estivesse cá, junto de ti, a acompanhar o teu percurso?

Percebi então que os ensinamentos, as aprendizagens, as vivências, os conselhos de uma mãe que AMA INCONDICIONAMENTE ficariam por transmitir.

Sem mais demoras, decidi escrever-te esta carta para te falar no AMOR e no que eu gostaria de partilhar contigo, fruto das minhas alegrias, tristezas, paixões, amores, desamores, euforias, angústias…. Sobre o que aprendi e o seu significado.

Minha querida, tu és o teu 1º e grande Amor!

Deves amar-te mais do que a qualquer outra pessoa. Valoriza-te, ama-te, acredita em ti… cuida de ti física e mentalmente, o teu corpo é o teu bem mais precioso. Nunca aceites menos do que mereces, menos do que desejas, menos do que o que te faz feliz. Alguém que não se ama, não consegue ver quando está a ser amado ou quando está a ser desrespeitado.

Segue sempre a tua sabedoria interior, os teus instintos. Confia em ti. Assume o teu valor. Liberta-te! Sê tu própria porque tu és um SER LINDO!

P.S: Como irá alguém amar-te, a ti, se tu própria não o souberes fazê-lo?

Estarás pronta para o Amor quando te amares genuinamente.

O Amor não magoa, o Amor não agride, como pode alguém que ama incondicionalmente levantar a mão para o ser amado? Tu tens o direito de ser respeitada. As tuas ideias, a tua maneira de ser, os teus sonhos são válidos. Exige sempre respeito!

O Amor cura. O Amor expande-nos. Apesar das adversidades que (sejamos realistas) irão surgir sempre, o Amor cheira a biscoitos acabados de fazer, cheira a rosas selvagens acabadas de colher, a terra molhada após uma forte chuvada num dia de Verão, sabe a chocolate quente em frente à lareira, a morangos roubados da horta alheia, a crepes com Nuttella numa esplanada em frente ao mar…! Huuuummmm.

PS: Se dói, como pode ser Amor?

Lembras-te quando a mãe dava beijinho na ferida e passava?

O Amor não é manipulador, não tens que abrir mão dos teus objetivos em nome do Amor, não é abdicando do que acreditas que provas que amas. O Amor é livre! Livre de provas, de cobranças, de exigências, de manipulações. O Amor permite. Permite Ser e deixar que o outro seja.

O Amor é a verdade. É a materialização da pureza e da transparência do nosso verdadeiro EU.

PS: O que escolheres fazer filha, fá-lo sempre por ti, nunca em função do “outro” ou de “algo”.

Que as tuas decisões sejam sempre baseadas no Amor e nunca no medo.

Filha, vou contar-te um segredo, o Amor acaba! É verdade, o Amor acaba e está tudo bem. Porque tudo passa, dor de dentes, dor de ouvidos, dor de Amor… umas demoram mais, outras menos, mas todas passam. E sabes filha? Uma dor só passa doendo, não há outra forma! E tu, vais morrer de amor e voltar a nascer muitas vezes e continua a estar tudo bem! Faz parte da tua aprendizagem, é o que te trará bagagem para chegares ao próximo amor. Porque não se ama apenas uma vez na vida, sabias?

Agora boas notícias, o Príncipe encantado existe! Dependendo da fase da vida em que te encontres, haverá sempre um príncipe encantado. A ti cabe-te fazeres a tua parte para atraíres boas pessoas para junto de ti e ter paciência porque o Amor chega sem avisar, vem de mansinho e não bate à porta, entra simplesmente.

Nunca te esqueças que o teu príncipe encantado deve ser belo…certifica-te que essa beleza vem de dentro.

Para terminar meu amor, lembra-te que tu não sabes tudo! Não sabes hoje, não sabes amanhã, nem vais saber nunca, a vida é uma espécie de escola, onde estamos sempre a aprender. Até ao final.

E a vida, essa, passa a voar… não percas tempo com mágoas, com pessoas erradas ou relações falhadas. Foram importantes sim, mas devem ficar no passado e para seguires em frente, vira a página, escrever uma nova história. A tua história. A que queres para a tua vida. Lembra-te: A AUTORA DA TUA VIDA ÉS TU!

E abraça, abraça muito, porque o abraço também é dizer que se ama sem palavras.

Ama e sê feliz!

 

Carla Dinis & Marisa Ribeiro

Artigos Partilhados

A Raízes – Trás-os-Montes e Alto Douro em Revista é um projecto editorial generalista, de âmbito regional, cuja publicação periódica é mensal.

LER MAIS

SIGA A REVISTA RAÍZES NAS REDES SOCIAIS