Centro Micológico de Vinhais promove apanha segura

Único no distrito de Bragança, este espaço está destinado à interpretação, divulgação e até degustação dos cogumelos mais comuns na região. Aqui são feitas várias conferências, jornadas, workshops e passeios micológicos.

Dar respostas e informação em áreas como a biologia dos cogumelos, a toxidade dos fungos, e as principais espécies comestíveis desta região é o principal objectivo do Centro Micológico em Vinhais, no distrito de Bragança. A responsável pelo equipamento, Carla Alves, explica que “aqui temos presentes quatro grandes temas: os habitats micológicos, a ecologia dos fungos, a comparação entre cogumelos tóxicos e comestíveis, quais são muitas vezes as grandes semelhanças entre eles e que podem enganar quem anda na apanha. Por último, o quarto tema muito importante tem a ver com a gastronomia micológica, ou seja, sobre a utilização dos cogumelos na gastronomia e até a desidratação do mesmo”, refere Carla Alves.

 

O centro promove cursos, demonstrações culinárias, organiza rotas micológicas com saídas de campo, para isso criou um guia com informação sobre as diferentes espécies existentes no concelho de Vinhais, isto para segurança de quem se aventurar na exploração deste recurso natural.

O Centro Micológico está estruturado em 4 áreas temáticas, estas acompanhadas por painéis informativos e equipamentos interactivos, que nos mostram os aspectos mais relevantes no mundo da micologia de uma forma acessível:

Habitats micológicos – esta área dedicada aos diferentes habitats onde podemos encontrar cogumelos (carvalhais, soutos, pinhais, lameiros, bosques ripícolas, entre outros).

Ecologia dos fungos – aqui ficamos a saber se são fungos saprófitas (o fungo alimenta-se de m.o. morta ou em decomposição); se são parasitas (vivem ou colonizam animais, vegetais ou outros fungos, provocando doenças, a morte ou simplesmente vivem aproveitando-se deles); se são simbióticos (o micélio alimenta-se decompondo as substâncias do solo ou estabelece uma relação de cooperação com as plantas verdes).

Para além disso é possível observar as características macroscópicas e microscópicas.

Cogumelos tóxicos – esta área dedicada às diferentes toxicidades que podemos encontrar nos cogumelos, desde aqueles que provocam uma dor de estômago até aqueles que são venenosos mortais.

Os painéis informativos e interactivos do centro mostram os principais cogumelos tóxicos e o tipo de intoxicação que provocam.

Gastronomia micológica – os cogumelos são utilizados na gastronomia da península ibérica desde a época dos romanos, graças à sua textura, aroma e delicados sabores.

Nesta área encontramos algumas sugestões para poder saborear apetitosos pratos realizados com cogumelos.

Os apanhadores de cogumelos não têm obrigatoriamente conhecimentos taxonómicos, mas identificam claramente os cogumelos que apanham e consomem, atribuído nomes vulgares. Nunca é demais reafirmar que não se deve comer cogumelos, a menos que esteja seguro que é comestível.

Kit de apanhador de cogumelos

Se passar pelo Centro Micológico de Vinhais e ficar com vontade de dar um passeio à procura de cogumelos, basta comprar o Guia de Campo dos Cogumelos do Concelho de Vinhais, pode ainda adquirir um cesto de vime, indicado para a apanha e uma faca própria para o corte de cogumelos.

“Para além da importância ambiental que representa a preservação dos cogumelos, este recurso pode muito bem assumir-se como mais um elemento de dinamização económica do concelho de vinhais, capaz de potenciar a comercialização dos cogumelos, a sua utilização na gastronomia local, e atrair mais visitantes ao concelho”, remata a responsável pelo Centro Micológico.

 

 Por Joana Martins Gonçalves

 

A Raízes – Trás-os-Montes e Alto Douro em Revista é um projecto editorial generalista, de âmbito regional, cuja publicação periódica é mensal.

LER MAIS

SIGA A REVISTA RAÍZES NAS REDES SOCIAIS