Revista Raízes - Sempre perto de si.|Quinta-feira, Novembro 23, 2017
Você está aqui: Início » Tema Especial » Em busca de um Reino Maravilhoso
  • Procure um artigo

Em busca de um Reino Maravilhoso 

1102

Do porto para Carrazeda de Ansiães

Descontentes e insatisfeitos com a sua vida na cidade Invicta, este casal de jovens decidiu migrar para a aldeia de Areias em Carrazeda de Ansiães. Dorabela Pinto tem 34 anos e é microbióloga, Daniel Silva tem 33 anos e uma especialização em qualidade alimentar. “Sabores em Desalinho” é a marca de produtos regionais criada pelo casal que sonha um dia exportar.

Daniel Silva e Dorabela Pinto conheceram-se na Universidade Católica no Porto desde então nunca mais se largaram e como recém-licenciados debateram-se com o comum problema do desemprego. Dorabela Pinto nasceu no Porto, tal como o companheiro Daniel Silva, no entanto ela tem raízes em Carrazeda de Ansiães onde passava férias em criança, anos mais tarde começou a trazer o namorado que também se apaixonou por Trás-os-Montes. “Sonhávamos em um dia vir morar para aqui, mas mais velhinhos. Vir tão jovens não nos parecia na altura tão provável”, diz Dorabela.
Ao terminarem os seus cursos não conseguiram emprego na sua área, Dorabela trabalhava num centro comercial no Porto, mas não estava satisfeita. “Sentia-me infeliz e tão pouco realizada. Para além de não trabalhar na minha área era escrava de um horário e de um espaço tão fechado”, revela a jovem. Cansada deste ritmo decidiu despedir-se e vir para Trás-os-Montes fazer uma formação de apicultura e até ganhar algumas jeiras nas vindimas. Entretanto com o namorado Daniel ainda tentaram a emigração e estiveram algum tempo na Suíça, sem sucesso regressaram a Portugal, Dorabela ficou por Areias, em Carrazeda e Daniel continuou a trabalhar no Porto, numa portagem. “ Estava literalmente no epicentro do trânsito, insatisfeito com o que fazia e as coisas acabaram por correr menos bem e decidi migrar também”, conta Daniel que veio também para a aldeia de Areias em Carrazeda de Ansiães.

Reportagem para ler na íntegra na edição impressa.

Adicionar comentário