Instituto Politécnico de Bragança revolucionou o Nordeste Transmontano

O balanço são mais de 19 mil diplomados e um lugar de topo nos rankings nacionais. Fundado em 1983, o Instituto Politécnico de Bragança (IPB) é constituído por cinco escolas, quatro no Campus de Bragança e uma em Mirandela. Passaram já 30 anos sobre a sua fundação. Nestas três décadas, centenas de estudantes, docentes e funcionários fizeram desta Instituição uma referência no ensino superior.

28 de Janeiro de 1983. Data que marcou a revolução no ensino no nordeste transmontano: nasce o Instituto Politécnico de Bragança. Tomava posse a primeira Comissão Instaladora. O professor Dionísio Gonçalves presidia esta comissão. Hoje, 30 anos mais tarde, olha com orgulho para a instituição. “Pode até dizer-se que foi a salvação do nordeste transmontano. O IPB foi talvez o grande instrumento que os governos tiveram para não desequilibrar mais o interior. Hoje continuamos a sofrer de litoralização de serviços. Nem é bom pensar: o que seria o interior sem estas infra-estruturas de ensino superior e de investigação aplicada?”, questiona o professor Dionísio Gonçalves. Hoje olha com orgulho para a instituição e valoriza o facto de a Instituição primar pela qualificação do pessoal docente.

Reportagem para ler na íntegra na edição impressa.

A Raízes – Trás-os-Montes e Alto Douro em Revista é um projecto editorial generalista, de âmbito regional, cuja publicação periódica é mensal.

LER MAIS

SIGA A REVISTA RAÍZES NAS REDES SOCIAIS