Revista Raízes - Sempre perto de si.|Terça-feira, Novembro 21, 2017
Você está aqui: Início » Gente de Cá » Pedro Gonçalves consegue 2ºlugar no The Voice Portugal da RTP1
  • Procure um artigo

Pedro Gonçalves consegue 2ºlugar no The Voice Portugal da RTP1 

1-1 peq

À segunda foi de vez para o transmontano Pedro Gonçalves que voltou a tentar a  tentar a sua sorte no Talent Show da RTP 1:  The Voice Portugal. Natural de Telões,  em Vila Pouca de Aguiar, o jovem de 18 anos promete que vai deixar a sua marca na música. Em entrevista para a Raízes ficamos a conhecer melhor este transmontano.

Com que que idade despertou o gosto pela música?

Pedro Gonçalves (PG) - Desde muito cedo que não parava um segundo quieto e sem falar ou cantar. Aos três anos subi pela primeira vez a um palco, no casamento de uns amigos dos meus pais, e comecei a cantar na altura o tema de abertura dos Pokemon. Mais tarde, tinha uns 12 anos, comecei a ter aulas de guitarra e o amor pela música começou a tornar-se algo de muito sério. Há 4 anos comecei a minha aventura pelo mundo do YouTube e desde então não tenho parado um segundo. A música cresceu dentro de mim.

Tens raízes transmontanas. Que ligação tens com Vila Pouca de Aguiar? 

PG - Nasci no Porto mas fui registado como natural de Telões, Vila Pouca de Aguiar. Toda a minha família paterna é transmontana e sinto muito esse espírito de paz e tranquilidade também dentro de mim.

Em Vila Pouca passo todos os meus bons momentos em família, na calma do lar. É incrível como o campo pode alterar o nosso estado de espírito, a nossa forma de ver a vida. Criamos uma ligação muito forte não só com a natureza como com as pessoas que nos rodeiam. Ninguém é desconhecido, existe sempre um sorriso e um “Bom dia” em cada pessoa. Vila Pouca de Aguiar é para mim o meu lar, a minha casa, sem dúvida.

 

No final do The Voice Portugal, onde conseguiste o segundo lugar fizeste questão de agradecer a Vila Pouca de Aguiar. Foi fundamental esse apoio?

PG - O apoio de Vila Pouca de Aguiar foi imprescindível. Foi-me emprestada uma camioneta para transporte da minha claque aos Estúdios Valentim de Carvalho para a Final do The Voice. São pessoas que guardo no meu coração e nunca deixaram de acreditar em mim.

Entrevista para ler na íntegra na edição impressa.

 

Adicionar comentário