Programador informático na Holanda

Levi Pires tem 36 anos e há já oito anos que vivem em Amsterdão na Holanda. Um ano de Erasmus durante o curso depois um estágio na Holanda levaram a que o jovem natural de Mirandela se apaixonasse pelo país e decidisse ficar por lá. Entretanto conheceu Stefanie que é holandesa mas que adora Portugal.

 

 

Nasceu em Mirandela, local onde fazemos esta entrevista. Levi saiu da cidade do Tua com 18 anos e foi estudar para a Universidade do Minho, em Braga. “Licenciei-me em Engenharia de Sistemas Informáticos, sempre quis algo ligado a esta área. Escolhi esta universidade porque me deram as melhores referências, é muito avançada informaticamente”, refere Levi.

No quarto ano de licenciatura em Braga o jovem decidiu com uma amiga ir para a Holanda estudar através do programa Erasmus (programa de intercâmbio de alunos). “Uns amigos nossos já tinham estado a estudar em Amsterdão e deram-nos as melhores referências sobretudo na nossa área e fomos para lá um ano”, conta Levi.

Um ano depois regressou ao Minho mas a experiência na Holanda foi tão gratificante que decidiu fazer o estágio numa empresa também em Amsterdão. “Na altura quando fui para lá fazer o estágio não pensava ficar por lá mas confesso que durante o estágio comecei a pensar na hipótese daí ter aceitado a proposta de trabalho depois do estágio”, diz o mirandelense que foi convidado a trabalhar na empresa onde fez o estágio. Levi não o tem termo de comparação com o mercado português porque nunca trabalhou em Portugal  mas considera que haja algumas diferenças pelo que conversa com amigos que trabalham cá e na mesma área. “ Do que falo com os meus amigos o relacionamento com as chefias na Holanda é bastante diferente, a própria hierarquização da empresa. Cá os meus amigos falam que fazem imensas horas extras eu não me lembro da última vez que as fiz. Não tenho horário de entrada, desde que cumpra as minhas oito horas e o trabalho esteja feito está tudo bem”, explica o programador informático.

 

Apaixonou-se por uma holandesa

Levi já se sentia muito realizado com a sua vida na Holanda mas conhecer Stefanie há seis anos ainda lhe trouxe outra magia à vida neste país. Conheceram-se no fim de um concerto, numa viagem de comboio para Amsterdão e nunca mais se largaram. Holandesa de gema veio a Portugal uns meses depois e conheceu toda a família do namorado e sentiu-se triste por não conseguir falar português. Decidida foi tirar um curso de português e hoje fala e percebe muito bem. Nesta entrevista à Raízes foi ela mesmo que respondeu em português a todas as perguntas. “Adoro Portugal, as pessoas, a comida e aqui em Mirandela adoro a “Noite dos Bombos”, uma festa que acontece no Verão”, confessa Stefanie que desde que está com Levi não falha uma edição desta festa que acontece anualmente me Mirandela.

 

Casamento em 2016 em Mirandela

Na Holanda não há tradição de se casar na terra da noiva e já está marcada a boda do casal no próximo mês de Junho. “Foi uma decisão dos dois e a minha família e os meus amigos vão adorar conhecer esta bela cidade”, diz Stefanie.

Sair da Holanda está nos planos do casal, Levi diz que “ o bichinho aqui da terra esta a chamar”. O casal regressa a Portugal no Verão para o casamento que vai trazer muitos holandeses a Mirandela.

 

 

 

A Raízes – Trás-os-Montes e Alto Douro em Revista é um projecto editorial generalista, de âmbito regional, cuja publicação periódica é mensal.

LER MAIS

SIGA A REVISTA RAÍZES NAS REDES SOCIAIS