Revista Raízes - Sempre perto de si.|Domingo, Setembro 24, 2017
Você está aqui: Início » Desporto » Transmontana é campeã mundial de Pankration
  • Procure um artigo

Transmontana é campeã mundial de Pankration 

SUsite

A atleta da Associação Mirandelense de Artes Orientais (AMAO, Susana Novo, conquistou a medalha de ouro, no Campeonato do Mundo de Pankration, que decorreu, em Itália, organizado pela Federação Italiana de Pankration Athlima e homologado pela World Pangration Athlima Federation.

Esta atleta mirandelense já tinha disputado, em duas ocasiões, finais mundiais em campeonatos anteriores mas só desta vez alcançou a tão desejada vitória. “À terceira foi de vez e conseguiu concretizar um sonho de muitos anos”, afirma emocionada, Susana Novo.

Para a atleta da AMAO, havia essa expetativa de poder conquistar o título mundial. “Trabalhei diariamente para isso, e abdiquei de muita coisa para poder estar ao mais alto nível nesta competição”, assegura Susana que lamenta a falta de apoios ao clube. “Para estarmos presentes neste mundial tivemos de andar a bater a muitas portas”, diz.

Mas a selecção nacional, orientada pelo Mestre Jesus Novo, não se ficou por aqui e conseguiu amealhar mais quatro medalhas, duas de prata e outras tantas de bronze.

Dos 5 atletas presentes, quatro conquistaram medalhas. Para além de Susana Novo, que conquistou o ouro, David Abreu conseguiu uma de prata, Sérgio Lousa, arrecadou duas medalhas em diferentes categorias: Uma de prata e outra de bronze. Daniel Du também conquistou uma medalha de bronze.

Apenas Francisco Teixeira não chegou às medalhas mas conseguiu um honroso quarto lugar.

Foi este o mundial onde Portugal conseguiu os melhores resultados de sempre. “Confesso que não estava à espera de resultados tão brilhantes, porque estivemos quatro anos sem marcar presença nos mundiais e a nossa participação seria sempre uma incógnita. Mas correu muito bem”, refere Jesus Novo.

No mundial, que terminou no domingo, em Itália, estiveram presentes cerca de 1400 atletas de 57 países.

Por Fernando Pires

Adicionar comentário