Revista Raízes - Sempre perto de si.|Segunda-feira, Setembro 25, 2017
Você está aqui: Início » Transmontanos Mundo Fora » Transmontano faz subir a temperatura
  • Procure um artigo

Transmontano faz subir a temperatura 

0K7A0746

Uma verdadeira promessa na moda internacional geneticamente transmontana. André Costa com apenas 25 anos tem brilhado um pouco por todo mundo.

André Costa nasceu em Bragança, a 5 de dezembro de 1989. “Sou transmontano de gema” é assim que o modelo começa esta entrevista. Nunca tinha pensado ser modelo mas há cerca de quatro anos a oportunidade surgiu e não tem parado um minuto. Foi precisamente no Algarve onde André viveu desde os 11 anos que surgiu o primeiro contacto com este mundo.

 

Do ginásio para a passerelle

Na altura estava a trabalhar num ginásio e foi uma amiga que o incentivou a participar num concurso de moda que estava a decorrer no Algarve e André decidiu aceitar e desde então nunca mais parou. Conquistou o título de Best Model Portugal e representou o Portugal na final internacional do concurso, Best Model of The World, na Turquia, isto em 2011. Entre 45 candidatos, foi considerado Best Face of The World pelo júri.
No ano seguinte chegou à final internacional do concurso Mister Handsome International, na República Dominicana, e não só venceu como ainda ganhou os títulos de Best Natural Smiling, Mr. Personality e Mr. International Face Of The Year.

Projecção mundial

Segundo André Costa em Portugal “as oportunidades eram escassas, o que me levou a começar a fazer editoriais de moda na Turquia, em Istambul, com a agência “Art Room” onde ganhei alguma visibilidade e fui contratado por uma agência dos Estados Unidos, a “Wilhelmina Miami” para a qual comecei a representar mundialmente”, disse o manequim à Raízes.

E pode dizer-se que nunca mais parou, viajou e já fez campanhas pelo mundo tendo protagonizado campanhas internacionais para marcas como Bespoke Dolce & Gabanna, Armani, GQ, Vogue.

Apesar de todo este sucesso, André Costa confessa que o início não foi fácil. “ Não desisto facilmente, dou o meu melhor e felizmente os resultados têm surgido”, explica.

O transmontano acredita que mais do que ser bonito é preciso fazer as coisas com paixão e ter noção que é preciso trabalhar muito. “Só com sacrifícios é que podemos ver os resultados e felizmente tem valido a pena”, disse André Costa.

Neste momento é representado pela agência “Kult” na Alemanha, “Independent Management” em Itália, “Wilhelmina” em Miami e Nova York, e L’agence em Portugal.

Uma verdadeira promessa da moda internacional que em criança nem sonhava com estes mundos. “Sempre me fascinou a área do desporto e nunca pensei trabalhar em moda mas o que é certo é que hoje amo aquilo que faço”, refere o transmontano.

 

Reportagem para ler na íntegra na edição impressa.

Adicionar comentário