Uma moura, um pássaro e uma cobra

Em cada cantinho de Trás-os-Montes e Alto Douro existe uma lenda e fazendo uma breve análise, muitas delas incluem sempre uma famosa moura. Na Raízes já lhe contámos algumas e esta edição com ajuda do livro “A mitologia dos Mouros” de Alexandre Perafita fomos conhecer de perto um lugar chamado Cavadas e Ludares no concelho de Vila Real. Um local fantástico para fotografar e que ganha alguma magia com esta história de amor.

 

Reza a lenda que em Cavadas e Ludares no concelho de Vila Real havia uma moura, muito bela e bondosa, que era pretendida por todos os jovens mas a bela só gostava de um. O pai era um homem de ferro e ambicioso, queria obrigá-la a casar com um mouro muito rico, embora de idade avançada. A moura tremia com esta ideia do seu pai que contra a sua vontade marcou o dia do casamento.

Jovens apaixonados decidem fugir

Ao saberem as intenções do pai moura os jovens apressaram.se a planear uma fuga. Mas a segurança com que este pai guardava a filha rapidamente descobriu os planos de fuga dos dois e resolveu apressar a data do casamento.

Desolada a moura não tinha como avisar o seu amado e decidiu arriscar e fugir de casa nessa mesma noite. Os criados do pai ainda correram atrás dela mas sem sucesso, a jovem correu sem olhar para trás.

O famoso penedo que parecia um pássaro

Ao nascer do sol estava num lugar chamado Cavadas e Ludares no concelho de Vila Real. Correu muito, a noite toda, precisava de descansar e acabou por se distrair e não perceber que os criados do seu pai se estavam a aproximar, ao contrário do que ela pensava não tinha parado de a perseguir. Quando os avistou correu e viu um pássaro que lhe parecia enorme e que podia ser a sua salvação para a levar para bem longe dali. Mas quando se aproximou percebeu que se tratava de um simples penedo, penedo este que ainda hoje podemos apreciar neste lugar. Um penedo que tem de facto, as formas de um grande pássaro. Ao perceber que os criados do seu pai se estavam a aproximar ficou muito aflita e escondeu-se entre os carrapiços e o penasco do monte, bem juntinho do penedo para não ser vista. E disse para o penedo:

– Serias a minha salvação se fosses um pássaro verdadeiro!…

Agachada atrás do penedo, o coração da moura cada vez mais forte pois os perseguidores continuava, a procurar todos os esconderijos que havia. Mas segundo esta lenda ouviu-se um silvo de cobra a cortar os ares que veio assustar os criados do pai da moura. A cobra tinha uma cabeça enorme e estava pronta a saltar-lhes em cima. Foi tão grande o suto que os criados fugiram a gritar de novo para a casa da moura.

Desfecho feliz para esta história de amor da moura que não teve que casar como o seu pai queria com um velho mouro rico mas sim com o seu amado.

Acredite ou não nesta lenda não perca oportunidade de visitar este local onde ainda hoje é possível ver um grande penedo de que num lado parece um grande pássaro e do outro parece a cabeça de uma cobra também muito grande. O povo chama-lhe o “penedo da moura” por causa desta história .

 

Joana Gonçalves

A Raízes – Trás-os-Montes e Alto Douro em Revista é um projecto editorial generalista, de âmbito regional, cuja publicação periódica é mensal.

LER MAIS

SIGA A REVISTA RAÍZES NAS REDES SOCIAIS